terça-feira, 6 de março de 2012

Ela é tudo que eu queria e nunca soube que tive.


Um comentário:

História Digital disse...

Caramba! Muito bonita a poesia e contraditória, pois suscita a tristeza. Mas isto faz parte da sensibilidade e da alma do poeta. Ainda bem que temos sangue lusitano.